segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Água turva e água-viva

Local: Praia do Forno, Arraial do Cabo-RJ
Data: 27/12/13
Quem foi junto: Milena Alves (minha irmã)

Hoje o mar não estava bom pro mergulho. Não mesmo.  A água na cidade inteira estava escura e amarronzada.  O transito estava meio complicado e a cidade já estava começando a encher para o ano novo. Como já tínhamos chegado até lá decidimos dar um mergulho do mesmo jeito. E logo de cara eu me dei mal.




Antes de mergulhar fomos alugar uma nadadeira para Milena. O pessoal do aluguel não havia exposto seus equipamentos devido a má visibilidade da água mas encontramos eles assim mesmo. Batemos um papo e eles foram muito gente boa em alugar o equipamento bem baratinho. Segundo eles o mar estava assim por causa de  uma corrente que carrega nutrientes e de um fenômeno conhecido como maré vermelha. Entramos na água e a visibilidade estava péssima mas ainda dava pra ver alguma coisa próximo as rochas então continuamos. 

Vinte metros depois senti uma ardência nas costas e quando fui ver era a água viva da foto acima. Saímos imediatamente da água. felizmente não era uma água viva muito venenosa e a pele ficou apenas um pouco avermelhada e a ardência incomodava mas não era muito forte. Caso fosse um caso mais grave, nesse post eu mostrei como tratar queimaduras de água-viva. Decidimos então ir para o outro lado da praia para ver se teríamos mais sorte. Como a maré estava muito baixa, conseguimos ver uma estrutura no meio da praia que não costuma estar visível normalmente. No meio da praia do Forno tem o motor de um barco enorme que afundou por ali a mais ou menos 12 anos. Resolvi dar uma olhada e encontrei uma caranguejo, uma lesma-do-mar e uma maria-da-toca:






Depois seguimos até o outro lado da praia. No caminho encontramos esse caramujo na areia:

Ao chegar do outro lado estávamos caminhando no raso quando eu senti algo se mexendo embaixo do meu pé. Quando fui ver era uma raia treme-treme. esse tipo de raia não tem ferrão mas consegue dar pequenas descargas elétricas. Observamos a raia durante um tempo e eu acabei pisando em outra! Por sorte as duas estavam descarregadas e eu não levei nenhum tipo de choque. Minha irmã acabou pisando em uma terceira raia, bem menor que as outras, e ai sim levou um pequeno choque mas nada de mais.







Grande abraço,
Márcio Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário