quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Animais perigosos no mergulho ( parte 1)

Depois de falar sobre segurança no mergulho vou me aprofundar um pouco mais sobre os habitantes marinhos que podem nos causar mal. Nesse post nós vamos entender como esses animais podem nos causar dano, como evita-los e o que fazer em caso de contato. Você vai aprender como o vinagre pode ser o melhor amigo do mergulhador.




Corais

O que eles fazem: Um grupo de corais denominado corais duros tem uma estrutura de carbonato de cálcio em seu corpo que ajuda na sua sustentação, após sua morte essas estruturas servem de base para novos corais originando assim um recife de coral. Mas essas estruturas são ásperas e podem acabar cortando a pele.Além disso alguns corais como o coral-de-fogo tem substâncias irritantes que em contato com a pele geram a sensação de queimadura. o coral de fogo produz uma sensação de queimação imediata seguida de dentro de 30 minutos por uma erupção cutânea bolhosa que leva vários dias para se curar.
Além disso o carbonato de cálcio e as bactérias presentes no corais dificultam a cicatrização e podem levar a infecção se não forem tratados.

Coral de fogo ao centro
Como evita-los: Basta não toca-los. Evite nadar em lugares muito rasos ou próximo a costa pois uma onda pode joga-lo para cima dos corais.

Sofri um acidente, e agora? Mantenha a calma, se a água estiver fria ela irá amenizar os efeitos, logo após sair da água jogue vinagre nos ferimentos. Lave com água doce e sabão até retirar o pó de carbonato de cálcio e qualquer pedaço de coral que tenha ficado. Não é preciso fazer um curativo, deixe o ferimento aberto e não se movimente muito. Procure um médico para saber  que tipo de pomada passar ou se o ferimento for grave receitar um antibiótico.
O vinagre evita a ação dos nematocistos, células urticantes dos corais,  e torna eles inertes. A água doce logo após o ferimento irá ativar os nematocistos que estavam fechados e piorar a lesão.

Surfista após cair em corais

Água-vivas

O que elas fazem: As água-vivas são parentes dos corais e possuem tentáculos cheios de células urticantes chamados nematocistos, estruturas cheias de veneno em formato de arpão que ao entrar em contato com a pele são disparados. Os locais que entraram em contato com os tentáculos ficam inchados, marcados e com bolhas de queimadura. A queimadura por água-viva causa ardor local, espasmos musculares, vômitos e choque. No mar isso pode ser muito perigoso pois pode levar a afogamentos.


Como evita-las: Ao contrario dos corais as água-vivas  não são vistas facilmente pois são transparentes e geralmente são levadas pelas correntes marinha. Por isso é difícil saber aonde elas vão aparecer. A dica é se você vir a praia cheia e locais aonde não tem ninguém na água, não vá lá. Se você entrar no mar e ver uma ou duas águas vivas é melhor sair, como são levadas pelo mar provavelmente tem mais delas que você ainda não viu. Algumas praias colocam avisos, mas aqui no Brasil isso é muito difícil. Mesmo água-vivas mortas na areia representam perigo, por isso fique atento aonde você pisa. Roupas de neoprene evitam o contato com a pele e podem ser usadas como medida preventiva também.

 Chiropsalmus quadrumanus. Uma das que mais causam acidentes no Brasil

Sofri um acidente, e agora? Os mesmos procedimentos com corais são validos. Retire os tentáculos com uma luva ou pinça e não toque neles ou no ferimento para não se machucar também. Jogue vinagre nos ferimentos até a sensação de queimação parar. Procure um médico rápido. Algumas pessoas são intolerantes ao veneno e podem começar a ter problemas respiratórios.
Não faça xixi nos ferimentos! Pode parecer nojento mas muita gente já ouviu falar nisso. A urina pode sim neutralizar os nematocistos como o vinagre, mas as bactérias presentes podem causar uma infecção no local.

queimadura de água-viva

Ouriço-do-mar

O que eles fazem: Os ouriços-do-mar possuem o corpo coberto de espinhos e se movem lentamente geralmente pelas pedras. Em alguns casos é possível encontrar ouriços andando pela areia o que é mais perigoso. Os espinhos tem uma pequena quantidade de veneno que em pequena quantidade não causa mal algum, mas os espinhos são dolorosos e se quebram na pele.
paredão rochoso coberto com ouriços

Como evita-los: Os ouriços estão em todos os lugares mas sempre colados a alguma superfície, por isso basta não tocar em rochas ou pisar em pedras. Também não se aproxime muito pois uma onda pode jogar você para cima deles. Na maior parte das vezes, o local atingido é o pé ou as mãos, por isso luvas e botas de proteção podem diminuir ou evitar a perfuração.

Sofri um acidente, e agora? Felizmente os acidentes com ouriços são bem menos graves do que parecem e a dor do ferimento acaba sendo o maior problema mesmo. Primeiro retire a maioria dos espinhos que você conseguir usando uma pinça. Alguns pedaços irão continuar presos e não vale a pena ferir a pele com agulhas tentando tira-los pois eles irão se dissolver sozinhos na pele com o tempo. Coloque uma toalha embebida em vinagre na lesão e deixe o maior tempo possível. Coloque a parte do corpo ferida em uma bacia com água quente, o mais quente que você aguentar, de vinte a quarenta minutos. Isso irá diminuir a dor, se não acabar totalmente com ela. Caso você continue sentindo dor intensa, os espinhos tenham atingido um articulação ou sinta falta de ar procure um médico.

Pé  após a retirada dos espinhos maiores. Os pedaços que sobraram serão absorvidos pelo corpo.


     Os acidentes mais graves com corais  geralmente são com surfistas que são jogados em cima dos recifes pelas ondas.
    
      A regra de evitar o contato com corais e rochas reduz e muito o risco de acidentes.

      Fique atento fora da água também, as vezes o mar pode trazer para a areia água-vivas e ouriços mortos mas que ainda são perigosos.

No Brasil não existem espécies de água-viva, corais ou ouriços com veneno capaz de matar um ser humano.

      Podemos ver que o vinagre ajuda a anular o veneno desses animais e evitar que ele se espalhe, por isso é sempre bom levar uma garrafinha no carro ou deixar com alguém na praia. Se você não tiver, pergunte em algum quiosque próximo a praia se eles tem.

       Esses são os acidentes mais comuns envolvendo animais marinhos e mergulhadores mas também são bem comuns a banhistas. É importante manter a calma e saber o que fazer nessas situações para não piorar a lesão. Se você tem alguma duvida quanto ao que fazer é melhor não fazer nada, deixe a vitima parada em um lugar com sombra e peça ajuda a um salva-vidas.
     
Aguardo vocês na segunda parte, aonde falaremos sobre acidentes envolvendo  mordidas de peixes.

Abraços,

Márcio Alves.

Um comentário:

  1. Estava mergulhando em superficie, qdo fui respirar encostei o pé em um coral. Na hora ficou um ralado com sangue. Mais depois de alguns dias apareceram bolhas que coçam muito.

    ResponderExcluir